3 de outubro de 2014

Prosas Poéticas na 2ª apresentação traz a criação de:


Marioneta de trapo



No se aburran de ser Niños,
medrando con rapidez,
porque en esos desaliños
brotará la bisoñez.

No desperdicien la Salud
para amasar dinero...
Lo aflojarán multitud
para reponer con suero.

No duden de ese Presente,
ni codicien el Futuro.
No hagamos cuesta pendiente
ni paredes de alto muro.

¡¡¡Vivan!!!... Sepan que se muere.
Premien lo pleno vivido.
El Amar, por siempre, urgiere
en pajas del mismo Nido.

Soy Testigo Marioneta
de Alma cubierta con Trapo;
desde esta Casa Maleta
os rehuyo todo gazapo.

* * *
Pedro Lopez  
Direitos Autorais Reservados ®
clique na foto e conheça outras criações do autor.

__________________________________________________________

36 comentários:

Dorli disse...

Bom dia Pedro,
Quando crianças temos pressa de crescer, namorar,trabalhar. não sabemos, infelizmente, que a pressa adianta as agruras que todos passamos na vida.
Que vivamos um dia de cada vez, aproveitando cada minuto do nosso viver.
A qualquer hora um desgosto nos vêm tentar matar nossas ilusões, daí a saudade das brincadeiras de crianças.
Parabéns pela poesia
Abç
Lua Singular

Mariangela disse...

Bom dia!
Que bela poesia do Pedro!
Ah se as crianças soubessem como é bom ser criança... Esse tempo de verdadeira inocência, das brincadeiras gostosas, de poder correr para os braços dos pais...Jamais teriam pressa em crescer!
Um ótimo dia!
Beijos,
Mariangela

Célia Rangel disse...

Sua criatividade, Pedro, leva-nos a um retorno de nossas expectativas na vida quando jovens... E, ao ler na maturidade, vemos o quanto perdemos em não aproveitar bem cada fase, sem antecipar nenhuma das mesmas. Parabenizo-o por seu edificante "trabalho filosófico"!
Abraço,
Célia.

Samuel Balbinot disse...

Muito bom dia Pedro.. redondilhas perfeitas.. gostei muito do tema e das rimas..
já fiz uma poesia sobre boneca de pano.. ficou muito boa.. as redondilhas nos elevam não é.. abraços e até sempre poeta

Carmen Lúcia.Prazer de Escrever disse...

Olá amigo Pedro,que maravilha falar sobre marionetes,as bonecas ou bonecos de pano que tanto agradam as crianças.
Um lindo poema como sempre.
Eu adorei.
bjs
Carmen Lúcia.

ॐ Shirley ॐ disse...

Ah! Pedro Luis, que vontade de ser criança outra vez...
Beijo e muita paz!

Verinha Portella disse...

Querido Pedro!!
Como é bom te encontrar aqui,agradeço ao Vivini por essa alegria, tu és maravilhoso,Poeta,
adoro te ler, me levas a lugares e tempos jamais esquecido. beijos
veraportella

Elvira Carvalho disse...

Um relato de algo que conhecemos bem, pois todos nós quando crianças já sentimos esse desejo de crescimento rápido. Depois quando nos abeiramos do fim queremos fazer inversão de marcha e desejaríamos que o tempo andasse bem mais devagar. Mas somos isso mesmo. marionetes que ele tempo maneja a seu bel-prazer.
Gostei.
Um abraço e bom fim de semana

Guaraciaba Perides disse...

Pudéssemos recuperar os doces momentos da infância onde tudo é novo e vívido como a primavera. bela reflexão em versos!
parabéns!

Guaraciaba Perides disse...

Pudéssemos recuperar os doces momentos da infância onde tudo é novo e vívido como a primavera. bela reflexão em versos!
parabéns!

Zilani Célia disse...

OI PEDRO!
SOMOS MESMO, MEROS MARIONETES DO TEMPO.
TEUS VERSOS, SÃO DELICADOS E TRAZEM MENSAGENS, SOBRE COMO SE DEVE ENCARAR CADA FAZE DA VIDA COM SUAS DEVIDAS IMPORTÂNCIAS.
ABRÇS

http://zilanicelia.blogspot.com.br/

Gracita disse...

Crianças... sonhadoras espontâneas. Tão lindas e suaves que deixam levar. São como marionetes a brincar. Uma belíssima criação. Parabéns Pedro!
Um abraço pra você e pro amigo Viviani

Marilene Domingues disse...

Querido amigo Viviane, boa noite!
Parabéns querido amigo Pedro pela linda participação...O seu poema me remeteu a tempos de peraltices, quando a vida era leve e tranquila. Crescemos mas não podemos deixar a nossa criança interior trancada, pelas preocupações e agruras desta vida.Lindo!
Deixo abraços com muito carinho pra você Viviane e pro amigo Pedro.
Marilene

cris braghetto disse...

Olá Pedro!
Hoje, devido as dificuldades sociais, vemos muitas crianças inseridas no mundo do trabalho; crianças perderam o espaço de brincadeiras nas ruas e hoje passam os dias conectadas em computadores e celulares.
Lugar de criança é no mundo da fantasia.
Parabéns pelo belo poema!
Abraços.

Marina Fligueira disse...

¡Hola, Pedro!

Hermosa muy hermosa tu poesía: Un canto precioso y recomendación a los más chicos.
¡Cuando somos niños, queremos crecer con rapidez parece que el tiempo se para! Cunado teníamos diez años, queríamos tener ya veinte.
Luego llega enseguida la madurez; y el tiempo se nos escapa, no se para con nadie.

Bueno, pues fidelidades por esta creación que intuyo va a dar mucho de si.
Y lo mismo, felicito a nuestro amigo JR por este excelente trabajo.
Gracias por darnos tanto y tan bello. Besos azules en vuelo.

Dorli Silva disse...

Oi tio Pedro,
Viemos prestigiar sua poesia, não entendemos muito sua língua, mas adoramos o boneco.
Beijinhos
Mundo dos Inocentes

Lu Nogfer disse...

Que bom lhe ver aqui, Pedro!

Belíssima a tua criação como tudo o que você escreve!
Parabéns!

Beijos!

Mari B. disse...

Muy belíssimo e hermoso poema, Pedro!

Sinval Santos da Silveira disse...

Caro amigo, Pedro Lopes !
Parabéns pela beleza do texto,
e graciosidade exuberante da
ilustração. Boa sorte, digno
Escritor.
Um fraterno abraço.
Sinval.

MARIA MACHADO disse...

Parabéns querido Pedro!

Que saudades estava eu, de ti!!!


Uma poesia muito linda, bela apresentação,essa imagem é belíssima com sempre nos encantando com seus divinos trabalhos, Muito legal te encontrar aqui. Abraços pra você. Parabéns!!!

Um abraço!

Maria Machado

Marina Fligueira disse...

¡Hola, Pedro!!!

Paso de nuevo a releer estos versos, pues cuanto más los leo más me gustan. Estas frase... tan acertadísimas... para reflexionar.

¡¡¡Vivan!!! Sepan que se muere.
Premien lo pleno vivido.

Que verdad tan grande y que poco se lleva a cabo.
Un diez. Pedro.
Y besos azules en vuelo.

Mary disse...

Linda tudo que retrata as crianças, fase que todos adultos queriam um dia voltar no tempo.


Muito lindo!

Nelma Ladeira disse...

É muito prazeroso falar de criança.
Adorei ler seu poema,parabéns.
Beijinhos.

Roselia Bezerra disse...

Hola, Pedro
Só hoje retorno ao lar, depois de 15 dias fora dele para visitar netinhos que residem noutro Estado daqui...
Lendo seu lindo e profundo poema, percebo que:
O interessante é que todos somos, numa certa altura de nossas vidas, um pouco 'marionete de trapo'...
Um belo dia... eis que zás: nos tornamos seres humanos outra vez...
Gostei muito de ler seus versos bem reflexivos... Parabéns!!!
Abraços fraternais

Artes e escritas disse...

Belíssimo poema! Parabéns. Um abraço, Yayá.

Joana disse...

Bom dia, Pedro!

Lindo poema! Parabéns pela inspiração!

Soledad del Sol disse...

Muy bella tu poesía, también la imagen, me recuerda a una una muñeca de trapo, con la cual jugaba de niña, me ha emocionado.

Un abrazo para ti y tu buen amiga.

Sónia M. disse...

O Pedro tem-nos tão habituados a esta qualidade na escrita...Belíssimo! Parabéns, Pedro!

Deixo um abraço.

Pedro Luis López Pérez (PL.LP) disse...

¡¡¡Obrigado a Tod@s por vuestros Comentarios y creaciones!!!
Ha sido un auténtico privilegio estar en el evento de Viviani con todas vuestras ingeniosas y artísticas composiciones.
Abraços a Todos.

maria del carmen nazer disse...

Mi querido, queridísimo , amado Pedro.
Tu poesía es una divinura, fresca, melodiosa, encantadora.
Ganes o no. ES LA MEJOR !!!!!
Lo estás haciendo bien, corazón. ¡FUERZA !!
Te dejo mi corazón.
¡MUCHA LUZ !!
BEIJOS BEIJOS BEIJOS !!!

Coluna da Mi disse...

Si yo supiera, en mis tiempos de niños
Como sería difícil crecer y no tendría, el mismo brillo de ayer
Jamás me gustaría haber crecido.

Saludos poeta Pedro Lopez!

Coluna da Mi disse...

Vendedor de ilusão, estou super atrasada, mas jamais poderia poderia deixar de continuar prestigiando esse teu evento. Vou conhecendo aos poucos os poetas e espero conhecer a todos.
Beijos.

http://colunadami.blogspot.com.br

JAIRCLOPES disse...

Um soneto acróstico

Pero Yo no soi como Cervantes
Eu alma poética não consigo ter
Denego verso e letras relevantes
Realidade é aquilo que se quer.

Ontem como hoje estou surpreso
Leio este com prazer este blogue
Um escritor com talento e peso
Inda que com maturidade jogue.

Salve na internet a inteligência
Logo que se olha transparece
Ó textos cheios de importância.

Pedro, parabéns você merece
E nem sequer mostre jactância
Zombo de quem o lê e esquece.

Laura Santos disse...

Um poema brilhante, na forma e no conteúdo.
Parabéns , Pedro!
xx

NeusaMarilda_Lavienrose disse...

Bom dia! Um sensível e reflexivo texto.Este seu espaço é muito rico e com boas obras. Agradeço a visita na mostra do Viviani. Abraços

Josefa disse...

Hola Pedro: Que linda poesía. Los ecuerdos de mi niñez so los mas bonitos que tengo. Leyendo tu poema, he vuelto a pensar en como fué para mi.
Un abrazo de todo corazón.