15 de dezembro de 2014

Divulgando:


Prezada leitora e caro leitor, é com satisfação que hoje lhes apresento o sumário da minha leitura, emitindo minha opinião sobre o livro de autoria do escritor e poeta Jair Cordeiro Lopes, assim como, apresento o autor e a obra:   
Vamos à apresentação, objeto desta divulgação: 

O Autor da obra:

(Jair Lopes)

O escritor é natural da cidade de Palmeira no Estado do Paraná; formado em Economia e Tecnólogo Mecânico, ex-militar da FAB, durante anos exerceu a função de Engenheiro de bordo em companhias aéreas civis, hoje um Capitão reformado da Força Aérea Brasileira, vive em Florianópolis – Santa Catarina. Em 2010 publicou seu primeiro livro "A fonte e as galinhas", em 2011 "O Tuaregue" e em 2013 “Crônicas Esparsas” que apresentamos a seguir. Além dos livros mencionados o escritor também é um Poeta e divulga suas criações no seu blog.  
     



A obra:






Crônicas esparsas

Editora: Open Brasil Graf
Edição: 2013
Número de páginas: 376 páginas
Formato 15,5 cm X 21,5 cm;
Gênero: Crônicas.



Release da obra: (segundo o autor)

Livro que é reflexo de uma vida de leituras nem sempre "orientadas" ou mesmo focadas em assuntos especialmente escolhidos. Antes, é repositório de imensa quantidade de temas que a curiosidade literária do autor levou-o a bestuntar nos livros que são sua paixão.

Sumário da obra:

O livro é uma compilação das composições criadas pelo autor no período entre março de 2011 e fevereiro de 2012 e são todas datadas, porém publicadas não em ordem cronológica mas sim pela ordem alfabética dos títulos que vão do A ao S perfazendo exatamente um total 89 composições, que abrangem os mais variados temas; temas indo desde curiosidades histórias, cientificas, fatos de vivência pessoal, assuntos que abordam temas instigantes, intrigantes e curioso à outros tantos hilariantes e cômicos, assim como os que levam à reflexão e à meditação pela profundidade de como são abordados.
Muitas das Crônicas poderiam ser entendidas como sendo Conto, Prosa ou até como Reflexão Filosófica, mas que não deixam de ser crônicas já que o autor emite sua impressão ou dá sua opinião no encerramento de cada uma delas.
Como os temas são dos mais variados, escolhi duas composições pra que tenham uma ideia do brilhantismo e da magnitude desta obra.
Uma na página 108 intitulada “Leitura”, na qual o autor, usando de sarcasmo, nos lembra a figura risível do Ministro do Trabalho do governo de Fernando Collor de Mello: o Sr. Antonio Rogério Magri com as suas declarações de falastrão que ficaram pra história; dentre as tantas asneiras ditas pelo ex-ministro, o autor faz referência a uma das “celebres” frases do ex-ministro quando, em entrevista coletiva, emitiu a sua opinião sobre livros e leitura, dizendo:
“Não leio livros, pois estes tendem a influir na opinião de quem lê, acho muito importante manter minha opinião sobre as coisas”.
Daí, o autor continua:
“Esta frase lapidar, em minha opinião, é a defesa pura e simples da treva do obscurantismo, é a pedra tumular sobre tudo que o iluminismo trouxe para a cultura ocidental”, e vai daí em diante...
Antagonicamente, a outra composição que escolhi, também diz respeito a livros, só que nesta o autor nos brinda com algo magnífico tirado das suas reminiscências. Na página 112, com o título de “Livros e cães” é feita menção às frases de efeito e marcantes ditas por uma professora do autor; frases de profundo significado usadas pela ilustre professora ao aconselhar o seu aluno com admirável analogia entre livros e pessoas - citações pra mim inéditas. Julguei de tal expressividade que fiz questão de apresentar na integra como está publicado:    

Livros e cães
Certa vez quando eu tinha doze ou treze anos e cursava o antigo Ginasial, estava concentrado lendo um livro na biblioteca quando minha professora de português, Maria Jamur, - a qual nunca desperdiçava uma única palavra, jamais jogava conversa fora – aproximou-se assim como não querendo nada, mas, olhando-me nos olhos com uma intensidade desconcertante, e, com uma reverência que eu a julgava incapaz de manifestar, falou-me algo que ficou gravado em minha mente e que, ainda hoje, continuo lembrando como se tivesse acabado de ouvir.
Embora se espere que os livros (os conteúdos dos livros, por certo) possam mudar ao longo dos tempos, assim como as pessoas também o fazem, a diferença está em que, as pessoas sempre se afastam quando percebem que não podem obter nenhuma vantagem, interação positiva, prazer, interesse ou pelo menos um momento aprazível em nossa companhia, um livro nunca nos abandona. Nós com certeza vamos abandoná-lo, algumas vezes por muitos anos, ou até para sempre talvez. Mas eles, os livros, mesmo traídos ou maltratados, nunca vão nos dar as costas: vão continuar esperando por nós silenciosos e humildes nas prateleiras ou nos cantos e porões onde foram deixados. E eles nos esperam por dezenas de anos, só sua destruição por traças, umidade ou fogo, impedirá que eles estejam à nossa espera. Não se queixam e não se cansam. Até que um dia qualquer, quando nós precisamos de um deles, quando sentimos necessidade de folhear suas páginas silenciosas e sábias, mesmo que seja numa noite chuvosa ou num dia frio, ou mesmo que seja um livro velho e maltratado que tenhamos jogado num canto sem qualquer cuidado, e que tenha ficado esquecido por muitos anos, ele não vai decepcionar-nos – descerá da prateleira poeirenta ou sairá de seu canto úmido e bolorento e virá conviver conosco como se nada tivesse acontecido. Não fará cobranças, não inventará desculpas e não perguntará se vale a pena, se ele nos merece, se nós o merecemos, se nós temos ainda algo a ver com ele, ou se tem algo a ver conosco, mas virá às nossas mãos no momento que nós quisermos, jamais fugirá ou nos trairá”.
Hoje, refletindo sobre isso, descobri porque gosto igualmente de cães e livros. Livros e cachorros são as duas faces da mesma moeda, a moeda da fidelidade. JAIR, Floripa, 24/09/11.

 * * *

Minha opinião:

Trata-se de uma obra magnífica, – fenomenal, escrita de forma irrepreensível e impecável, que aborda assuntos interessantíssimos em narrativas breves desenvolvidas e descritas em linguagem que estimula à leitura. 
“Crônicas Esparsas” é um desses livros que não se tem vontade de parar de ler; apesar dos mais diferentes temas não terem nenhuma ligação entre eles, podendo, portanto, serem lidos ao sabor do desejo – indistintamente, os temas são tão atraentes que aguçam a curiosidade daquilo que virá no próximo. Por essas razões eu aprovo, indico e recomendo: não deixem de ler o “Crônica Esparsas” – vale à pena, podem estar certos! 

* * *
Não deixem de visitar o site do autor clicando AQUI onde poderão apreciar belíssimas criações do autor.
Para comprar o livro entre em contato direto com o autor pelo e-mail: oveque@hotmail.com, com uma novidade: o livro tem remessa gratuita para todo o país.  
* * *
Deixo o meu agradecimento ao caro amigo escritor, em primeiro lugar por ter enviado seu livro tornando possível esta divulgação e, em segundo, pelo inestimável presente além da honrosa dedicatória nele a mim dirigida.   

* * *
Espero que tenham sido atraídos pela obra do autor e gostado da divulgação.
Um abraço a todos e até a próxima!
____________________________________________

12 comentários:

Cidália Ferreira disse...

Bom dia
Sem duvida, maravilhoso...
Muitos Parabéns.

Beijos. e uma óptima semana

http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

JAIRCLOPES disse...

Acróstico

Casos, comportamentos e reflexões
Resultado da vida toda de leituras
Ômega e alfa cogitados com botões
Neste livro onde ciência é aventura.

Infinito ao alcance do pensamento
Como objeto a se tirar conclusões
Assim teci cada ponto do memento
Senda reta sem floreios e questões.

Espero que ao leitor seja um agrado
Seja prazeroso e também um roteiro
Porquanto tema algum é mui pesado
Antes nenhum é banal e corriqueiro.

Riqueza é livro que a ideia desperta
Somando à sabedoria que já existe
Assim este livro é uma janela aberta
Sempre com um novo tema em riste.

Laura Santos disse...

Um livro que parece ser de leitura bem apelativa e interessante, já que o autor parece ter, para além de bastantes conhecimentos, um olhar acutilante sobre a realidade, aliado ao sentido de humor.
Adorei a frase citada do ministro Magri. Risível de tão patético! Fez-me lembrar uma frase já antiga do nosso actual presidente da república ao salientar que não lia jornais...E concordo com a visão sobre o livro, apresentada a Jair pela sua professora de Português; livros são realmente fieis amigos, tal como os cães.
"Fiel amigo" que nós aqui também chamamos ao bacalhau...:-))
Gostei muito desta divulgação.
xx

Guaraciaba Perides disse...

O livro traz a essência da mente humana
que o gerou...e assim se torna para sempre um amigo querido, pois ficou nele algo da humanidade em si.
Um abraço

Amizade disse...

Olá amigo,

Uma vez mais a divulgação de uma obra que parece ser excelente.

Desejamos que passes um Natal muito feliz com muita saúde, amor e paz e que o ano de 2015 te traga muita felicidade e transforme os teus sonhos em realidade.

Seguindo a máxima “Ano Novo, Vida Nova”, informamos que o Farol vai sofrer algumas mudanças já a partir do próximo mês de Janeiro. Assim, aproveitamos para te convidar a participar no desafio com o qual em 2015 iniciaremos essa mudança.

Beijinhos e abraços dos amigos,

Argos, Tétis e Poseidón

Leila Bomfim disse...

Bárbaro! Falar em livros é algo que sempre mexe com nossa alma, já que amamos as palavras. Bela divulgação...um abraço.

Zilani Célia disse...

OI VIVIANI!
CONHEÇO UM POUCO DO TRABALHO DO JAIR, COMO BEM DEFINISTE É UM ÓTIMO ESCRITOR E VALE MUITO A PENA LER SUAS OBRAS.
PARA TI AMIGO, DESEJO UM NATAL DE MUITA LUZ E NA PAZ DO PAI CELESTIAL, JUNTO AOS TEUS.
ABRÇS
http://zilanicelia.blogspot.com.br/

Elvira Carvalho disse...

Excelente esta divulgação de um autor que desconhecia.
Um abraço e tudo de bom para si.

Marina Fligueira disse...

¡Hola Viviani!!!

A judgar por esta gran reseña que aquí nos dejas, debe ser un buen e interesante libro.
Gracias mil por todo lo que nos dejas. Siempre es un placer pasar por tu puerto y ver la grandeza de las olas que llevas dentro del alma.

Un abrazo, mi gratitud y estima.
Felices fiestas.

Patricia Galis disse...

Gostei da cronica e da sua opinião. Vou ver se adquiro.

Tunin disse...

Muito boa a tua crônica. O material deve ser ótimo.
Abração.

Eu...Suzana disse...

Querido Viviani,
passando para te desejar um alegre e maravilhoso natal e ano novo junto a teus familiares.
Muita paz!!!
Um beijo grande e carinhoso no teu coração.
Suzana.