15 de dezembro de 2012

Contos e Prosas - apresenta a criação de:


A procura da felicidade

Ricardo e Claudia estavam casados havia dez anos. Um casal com filhos arteiros e brincalhões, mas quem não estava para brincadeiras era Ricardo, pois cansado daquela vidinha comum e estúpida disse a sua mulher que iria dar uma volta para descansar a cabeça.
Saiu a vagar as ruas, pensando:
"Que família chata eu tenho, só me causa dissabor, não me dá nenhum contentamento e não sou nada feliz com ela".
Nesse momento, enquanto pensava, passava por ele uma mulher meio estranha, e perguntou-lhe:
— Por que você está assim tão acabrunhado e pensativo?
Ele respondeu:
— Eu não sou feliz e faria qualquer coisa para encontrar essa tal felicidade.
A mulher estranha olhou para ele e disse:
— Eu sei um jeito de você encontrar a felicidade: você vai adentrar a uma floresta muito densa e quando encontrar uma tulipa preta, ela se transformará numa linda mulher e por ela se apaixonará e ela o fará feliz todos os dias de sua vida.
Ricardo, mesmo pasmado com o inusitado, agradeceu e muito esperançoso cheio de ansiedade, foi à procura de uma floresta; não demorou muito tempo encontrou; adentrou por entre a mata receoso – com certo medo, à procura da tulipa preta.
Embrenhou-se por aqui e por acolá e acabou encontrando muitas tulipas, – lindas e coloridas, mas nada de encontrar a tulipa preta, todavia, mesmo assim, continuou com sua busca incessante, já perdendo até a noção do tempo nessa procura que parecia não ter fim.
Nessa busca obsessiva e constante, seus cabelos e barba começaram a crescer, comia frutos da floresta e estava maltrapilho, maltrapilho a ponto de ter que cobrir suas vergonhas com as folhas das árvores. Eis que de repente, para sua alegria, encontrou a tulipa preta; seu pensamento maroto o fez dar muitas gargalhadas, – ria-se de satisfação, pois, pra ele, sua procura havia terminado.
No exato instante que vislumbrou a tulipa preta, como por encanto, esta se transformou numa mulher fascinante e ele, sem nenhuma dúvida, exclamou aos brados:
— Até que enfim encontrei quem irá me fazer feliz todos os dias do meu viver! – exclamou em tom de claro desabafo e ouve a linda mulher dizer-lhe com ar de escárnio:
— Você passou muitos anos aqui na floresta para conhecer uma triste realidade, tulipa preta e felicidade plena não existem meu caro, e você perdeu a oportunidade de ser feliz. Os momentos felizes estavam no seio de sua família e você, por ignorância, os perdeu, assim como perdeu sua mulher pra outro, perdendo, com isso, a chance de ter os seus tão desejados momentos de felicidade.
Ao ouvir isso, Ricardo, atônito, perdido e abestalhado com tudo, quis dizer alguma coisa à fascinante mulher, porém, nesse momento, ela se transformou num sapo asqueroso que saiu pulando, coaxando, e se jogou num brejo, escancarando sua imbecilidade pela falsa ilusão.
“Que tolice fez Ricardo; foi atrás da felicidade e ela estava pertinho dele”.

Dorli Ramos
Direitos Autorais Reservados ®

 * Clique na foto  e conheça o blog da autora.
___________________________________________________________________________________

55 comentários:

Gracita disse...

Dorli minha querida.
Que conto exuberante! A felicidade que buscamos está sempre pertinho ou dentro de nós, basta enxergá-la e para isso é preciso usar os olhos do coração, a veia magna que é o amor.
Ricardo foi incapaz percebê-la, pois precisava senti-la com o amor do coração e como este estava descompassado perdeu a sua grande oportunidade de ser feliz. Uma busca insana que resultou numa grande perda e decepção.
Parabéns querida pela magnifica tessitura. Você tem o dom para a escrita. Liiiindo viu?
Beijos e mais beijos
Gracita

✿ chica disse...

Maravilhoso conto,Dorli! Gosto muito de te ler e escreves sempre inspirada! beijos,chica

Carmen Lúcia.Prazer de Escrever disse...

Lindo amiga Dorli.Se Ricardo tivesse a paciência de esperar a sua felicidade e não ir à procura da tulipa,não perderia seu amor que estaria bem próximo à ele.Às vezes devemos esperar um pouco e não ficar muito tempo a procura em ser feliz e jogar fora nossa felicide.
Bjs amiga,lindo conto!

Carmen Lúcia

Verinha Portella disse...

Muito estimada Dorli!

Estou emocionada com teu conto.
Que mensagem maravilhosa,seria bom que todas as pessoas fizesem um reflexão sobre isso.A leviandade,a falta de amor,as vezes impede a pessoa de perceber a sua tulipa da felicidade, quase sempre, tão proximo.
Parabens ,querida,tenha um lindo final de semana,cheinho de alegrias.
beijos
vera portella

Ghost e Bindi disse...

Olá Dorli!
Que bela metáfora para a incessante insatisfação humana...assim como ela nos leva a buscar melhores condições de vida, avanços na ciência e tecnologia, também pode ser origem de uma busca infrutífera por prazeres que logo se nos tornam insossos. Quando se permanece no prazer, o prazer não permanece...é a rotina, simples e pacífica, que faz o campo de fundo onde nascerão as flores de nossos sucessos. E o maior sucesso sempre virá do coração, da alma, e não da matéria, pois esta fenece e nada nos traz a não ser uma felicidade momentânea.
Um belo conto, que merece este destaque.
Um grande abraço!

Bíndi e Ghost

Chico Bueno disse...

Dorli, parabéns pelo conto. Você, como sempre, consegue extrair ricas lições de vida expressando-se de maneira simples.

Maria Teresa Fheliz Benedito disse...

Que lindo Dorli!
Bela lição, o Ricardo parece tanto com uma pessoa que conheço, gostaria que essa pessoa lesse, mas não tem como infelizmente.
A felicidade está sempre tão perto não é?
Ela está sempre onde a pomos e não onde a procuramos.
Adorei querida, parabéns, escreve muito bem.
Beijinhos amiga linda.

Everson Russo disse...

Muitas vezes a felicidade nós já temos,,,é meio que como a liberdade,,,a gente nunca sabe o que fazer com ela,,,ou nunca se está satisfeito com ela...na vida,,,jamais chegaremos a plenitude dos sentimentos,,,pois estaremos sempre buscando um algo mais,,,e mesmo assim,,,sem a satisfação completa...belo conto...beijos amiga e parabéns ao amigo por mais essa divulgação...

MARIA MACHADO disse...

Parabéns Dorli Ramos, seu conto é uma lição para aqueles que são cegos, e não enxergam um palmo diante do nariz,deixam para trás a felicidade que as vezes está tão perto.Fiquei encantada.
"Que tolice fez Ricardo;foi atrás da felicidade e ela estava pertinho dele"
Um abraço,um belo final de semana.
Maria Machado

Nádia Santos disse...

Que bela lição querida Dorli! Pois é, muitas pessoas ficam obcecadas por encontrar a felicidade e geralmente ela está bem ali, pertinho dela. Parabéns querida!

Jaqueline Cristina disse...

Essa busca pela felicidade atrapalha a felicidade das pessoas que a buscam.
A vida é feita de momentos, não há felicidade plena, há momentos bons e ruins e a tal felicidade, a meu ver, é sentir-se realizado e satisfeito com a vida que se tem.
Muito bom, Dorli!
Bjoks

POR TODA MINHA VIDA disse...

Fantástico minha Dorli ...Sabia que faria um lindo trabalho pois todos os seus são lindo sabes sou teu fã ...amo teus escritos e este merece mais que parabéns viu um grande beijo Pedro Pugliese

elvira carvalho disse...

Gostei.
A eterna insatisfação do ser humano cega.
Dai que a maior parte das vezes só se dê conta de como era feliz quando já deixou de o ser.
Um abraço e bom fim de semana.

Bom fim de semana também para si amigo J. R. Viviane

Rosa Mattos disse...

oi Dorli, adorei seu conto!

O suspense pela busca da tulipa preta foi uma ótima sacada. Achei uma delícia de ler. Parabéns!

bjs

Rosa Mattos
http://contosdarosa.blogspot.com

Mary disse...

Oi Dorli!

Uma bela lição.

Um lindo conto, parabéns pela sua brilhante participação.


Célia Rangel disse...

Bem, Dorli... se ele chegou a ser príncipe, um dia, não sei... mas que virou um belo sapo e teve ainda que ouvir um belo sermão da tulipa preta! Muitos deveriam ler esse seu conto que deixa excelente mensagem de vida! Parabéns!
Bj. Célia.

VILMA PIVA disse...

Olá Dorli, lindo conto revelando estupenda criatividade. Feliz inspiração nos trazendo reflexões para que também possamos perguntar a nós mesmos: - onde mora a nossa felicidade? Lindo isso tudo, viu?
Parabéns!! Beijos!

METAMORFOSES disse...

Adorei o texto! Muito bem escrito, com um história belíssima... Parabéns!

Cristovam

*Escritora de Artes* disse...

Olá Dorli,

Quase sempre a felicidade está diante de nós, adorei o texto...

Parabéns pela sua bela participaçao..

Bjos

Evanir disse...

Dorli querida amiga.
Seu texto me surpriendeu pala riqueza de detalhes lindos e de um fim inesperado.
A verdade é que muitas pessoas se julga um eterno infeliz só depois de perder o bem mais precioso que é a família tarde demais para voltar atrás.
A felicidade quase sempre caminha do nosso lado e muitos acham que esta na rua.
Amiga parabéns pelo belíssimo texto beijos sua amiga sempre,Evanir.

Clau disse...

Olá Dorli!
Gostei muito do seu conto.Parabéns.
Tem muita gente por aí,agindo igual ao Ricardo.
Às vezes a felicidade está tão perto,mas falta capacidade para enxergá-la...e o tempo vai passando.
Bjs!

Bia Hain disse...

Dorli, que ótimo conto! Por muitas vezes nos perdemos em buscar a felicidade quando ela pode estar completa, basta mudar o ponto de vista, não é mesmo? Um abraço!

Zilani Célia disse...

OI DORLI!
TEU CONTO TRÁS UMA GRANDE MENSAGEM, POIS QUANTAS PESSOAS NÃO SE DÃO CONTA QUE TEM TUDO AO ALCANCE DE SUA MÃO E SAEM A PROCURA DE COISAS QUE NÃO EXISTEM, PERDENDO O QUE DE MELHOR TINHAM.
MUITO BONITO AMIGA, TE PARABENIZO PELA BELA PARTICIPAÇÃO.
ABRÇS
http://zilanicelia.blogspot.com.br/

Lu Nogfer disse...

Ah!Quantas pessoas perdem a oportunidade de ser feliz por desejar uma felicidade que estava tao perto!

Muito bom o seu conto, amiga, parabens!

Beijos!

Rita disse...

Um conto maravilhoso vc escreve bem
eu gosto de tudo que vc faz
parabéns pela bela obra
Abraços com carinho
Rita!!!

Bento Sales disse...

Olá, amiga Dorli!
O conto nos brinda com uma mensagem e reflexão maravilhosas. Muitas vezes, somos felizes, mas não sabíamos ou percebemos; talvez porque nós a idealizamos utopicamente.
Também não se pode deixar de citar que tu tens boa narrativa, ótima linguagem e gramática impressionante.
Teu texto trouxe um brilho especial a este evento literário relevante, aqui, neste espaço singular, do amigo Viviani.

Abraços a ambos!

Maura disse...

Parabens pelo conto!

Sónia M. disse...

Parabéns pela sua criação, Dorli!
Um conto que nos convida à reflexão.
Gostei muito.

Deixo um beijo
Sónia

Pedro Luis López Pérez (PL.LP) disse...

Nuestro carácter egoísta nos impide encontrar la satisfacción completa, cuando la tenemos tan cerca de nosotros y de nuestro entorno.
Um abraço.

Sissym disse...

Dorli, esta historia é tao real. Ela acontece diariamente em muitos lares. Acho tudo triste, porém conheço muitos exemplos.

Beijos

Cesar S. Farias disse...

Uma versão bem crítica da fábula do príncipe-sapo. Parabéns.

Clarice Moreno disse...

Dorli minha linda, que conto mais envolvente, uma bela narrativa que me causou um impacto, você escreveu de uma forma que a fantasia e a ficção se misturaram de um jeito, tornando seu conto com uma pitada de uma realidade infelizmente existente na vida e na cabeça medíocres de muitos homens que não sabem valorizar o que tem e não enxergam a felicidade que está diante de seus olhos. Parabéns Dorli pela sua linda participação.
Beijos da amiga,
Clarice

Tunin disse...

A felicidade sempre está dentro de nós mesmos.É só preciso enxergá-la.Excelente lição.
Abração.

Roseli Rosa disse...

Amiga Dorli com certeza um conto excepcional.Amei!
Abraços

Dorli disse...

O meu agradecimento está no meu blog
Vão até lá para conferir

Beijos
Dorli Ramos ( Lua Singular )

Viviane SCP disse...

Oi Dorli...
Parabéns, é uma linda história. Ao terminar de ler, lembrei-me do filme "Passaro Azul", que traz a pequena protagonista saindo de casa em busca da verdadeira felicidade que só seria alcançada quando ela encontrasse o pássaro azul. Mais uma vez parabéns pela linda história.
Beijos Viviane.

Janete Sales (Dany) disse...

Meus aplausos Dorli...este conto relata exatamente o que acontece quando não valorizamos o que temos ao nosso alcance!
Devemos sim ir a procura de outros objetivos, porém jamais abandonar os já alcançados!

Parabéns pelo belo conto reflexivo!

Beijos

Kellen Bittencourt disse...

Querida Dorli, primeiro desculpe a demora em vim prestigia-la, o final de semana foi meio apertado por aki! Fico impressionada como vc escreve e cria seus contos com primor, sempre nos fazendo refletir, esse texto mostra bem o qto temos que estar atentos para não deixar a felicidade passar pelos nossos olhos sem que possamos enxerga-la! Parabéns! Arrasou! Bjoooss

Bruxa disse...

Oi Dorli!
Amiga, belo conto, parabéns por sua postagem
A felicidade são pequenos momentos, se os desprezarmos à procura de algo grandioso, realmente, nunca a teremos.

Abração.

Mariangela disse...

Oi Dorli!
Que lição!
Um excelente conto e uma bela inspiração, mostrando que a felicidade está bem perto e tantas pessoas não há vê!
Lindo Dorli, peço desculpas pelo atraso em comentar, estava um tanto atarefada devido as festas de natal nas empresas, pois o meu trabalho é fazer eventos.
Mas vim e gosto muito de te ler!!!
Beijos amiga e parabéns!
Mariangela

Orvalho do Céu disse...

Olá, querida Dorli
Só hoje, estando eu um pouco melhor de saúde, pude ler, com atenção, o seu lindo conto e verdadeiro: a felicidade está em nós... não há "tulipa preta" nem "patuá" algum que no-la possam dar...
Como autora, vc fez muito bem em nos levar a essa direção sensata e feliz... parabéns!!!
Bjs de Boas festas

Ana Salviato disse...

Parabéns Dorli!!!
Quando escreve passa transmite ao leitor toda sua experiência de vida, adoro seus contos, são estórias deliciosas de se ler.
Beijos
Ana

Elias Akhenaton disse...

Boa noite, querida amiga!

Mais uma vez rendo-me a tua bela e sensível inspiração, impregnada neste maravilhoso conto mostrando-nos a realidade da vida, do nosso cotidiano.

A verdadeira felicidade está dentro de nós. Muitas pessoas pensam que felicidade é simplesmente estar sem problemas, de bem com a vida material.Mas, a felicidade só é conseguida quando um espírito se encontra consigo mesmo no âmago do seu ser. Quando ele consegue alcança-la não deseja retroagir e assim vai evoluindo tornando-se cada vez mais um espírito glorioso e vencedor, desabrochando as latentes e reais virtudes que temos em potencial.

Mais uma vez meus parabéns e minha admiração.

Um beijo e fica com Deus!

Dra. Marília R Bonatti disse...

Dorli adorei o conto!!
Ele retrata a realidade de muitas pessoas que infelizmente não conseguem perceber ,por várias razões que a felicidae esta ali ao lado dela,bem mais perto do que ela pensa.
Parabéns!!!
Abraços Marília

Rosa Branca disse...

Nosssa que lindo, amei mesmo, e como é comum isso de passar o tempo e perceber que estava só correndo atras de ilusões pq a verdadeira felicidade está na nossa família. Amei mesmo, Paraéns Dorli.

Paty Alves
www.agape-amorverdadeiro.blogspot.com
www.patyiva.blogspot.com
www.tentardecoracao.blogspot.com

ricardo alves / são paulo,brasil disse...

olha andei lendo os comentários e diria que você é uma das campeãs de comentários aqui no vendedor de ilusão rs...
poderia dizer muita coisa mas concordo com sissym!
abraço a vc e ao colega blogueiro e incentivador J.R.

Isa Lisboa disse...

Uma princesa que se transforma em sapo, gostei muito dessa ideia...!
Parabéns pelo conto, Dorli, gostei da fábula que imaginou. Serve para lembrar que devemos olhar para as tulipas que temos nosso jardim, regá-las, dar-lhes sol, pois uma flor com rara beleza, e assim tão perto, deve ser bem tratada.

Um abraço

Duendes disse...

Ola Dorli,
muitas vezes as pessoas dao valor a propria felicidade somente qdo as perdem...isso infelismente é uma triste realidade para muitos...Gostei muito da sua poesia .Parabens querida preserve com amor o "dom" da escritura ele é precioso.beijocas.

Dídimo Gusmão disse...

Dorli,

Que lindo conto! Soube trabalhar com grande criatividade.
A sua inspiração fluiu, com tanta beleza, que o texto ficou magnífico.
Simplesmente maravilhoso!
Abraços literários.

didimogusmao.blogspot.com.br

Maria Alice Cerqueira disse...

Querida Dorli,
Que lindo conto.
Sim quando procuramos pela felicidade, nunca a encontremos, por que ela está dentro do nosso coração e não no seu exterior.
Muitas vezes colocamos tudo a perder, por conta desta busca, a nossa felicidade não está em lugar algum, mas, simplesmente dentro de nós mesmos.
Uma linda semana para voce.
Abraço amigo. Maria Alice

Thiago RioSul disse...

Minha amiga Dorli, como sempre surpreendendo.

Este conto condiz com muitas realidades, pois as pessoas em busca da felicidade muitas vezes não a percebem ao seu lado, buscam ilusões, e fantasias, e acabm mesmo por perder seus tesouros ...

Parabéns minha querida amiga, colocaste tudo com muita propriedade.

Abraços
rioSul
Thiago

Sonia disse...

Olá, Dorli! Acho que eu não sabia que participavas com teus contos neste blog.Li, gostei, uma bela lição para quem não encontra a felicidade dentro de si e das coisas que lhe rodeiam.
Abraço!
Sonia

Patricia Galis disse...

O pior que muitos Ricardos estão por ai procurando sua tulipa preta e desprezado a real felicidade, não existe nada mais triste do que uma pessoa que não agradece a Deus as bençãos que possui, adorei o conto, serve de alerta a muitos.

Tunin disse...

Um excelente conto, Dorli!
Muitas vezes a beleza está perto da gente e não se enxerga; vai-se procurar noutro lugar e aí quebra-se a cara.
O homem carnal tem muito disso. Larga o certo pelo duvidoso e, ao fim, vem a decepção.
A felicidade mora dentro de nós, basta sabermos despertá-la.
Abração.
Feliz 2013!

António Manuel - Tómanel disse...

Nada mau... seu conto está uma delicia.
Continue, pois a perfeição nunca se consegue adquirir.
Um beijo