15 de dezembro de 2012

Contos e Prosas - apresenta a criação de:


O Segredo de Uma Entrega Total

Aquela parecia uma noite igual às demais, Carlos Rendes buscando sua esposa no trabalho para levá-la para casa como de costume. Ao entrar no carro Cris Ellen foi surpreendida por um beijo como há muito não acontecia. Seu marido sugou-a com tanta volúpia que não parecia o mesmo homem com quem convivia há 10 anos.
Achou estranho e só soltou um “Hum, que delícia!” para não quebrar o encantamento e seguiram calados, mas com ar de expectativa, pois algo estava diferente. Depois de anos, Cris via seu companheiro tratá-la com prazer, uma ledice que só aconteceu nos primeiros meses do romance.
Quando entraram em casa, Cris foi ao toalete trocar de roupa e colocar uma lingerie. Qual a surpresa quando saiu: Carlos estava despido! Vestia apenas uma cueca vermelha. Espantada  refletiu mais uma vez no que poderia estar acontecendo. Todavia isso ficou só no pensamento, afinal, queria sentir tudo que parecia estar por vir com seu homem, seu amor, seu macho!
Conversaram alguns assuntos do dia e inesperadamente ele tocou seus seios entumecidos com os lábios, arrepiou-a por inteiro, provocando umidade desde “cima até embaixo”, Cris babou e, babou e babou! Em seguida Carlos foi descendo e beijando e descendo e sugando... Cris não acreditava no que acontecia:
“Meu homem, acariciando-me por inteiro sem apelar para as rapinhas do dia-a-dia ou por um acessório para apimentar. O que será que aconteceu?” - pensou e logo deixou de pensar estava tomada pela anestesia clímax fora da razão. Permitiu-se deliciar aquele homem que amava, mas que pelo cotidiano haviam se afastado de momentos como este.
Sua entrega foi total, a cada beijo um aspirar fundo e satisfatório, cada carícia por mais selvagem que fosse era bem-vinda, variavam as posições sem falar, degustavam-se dos pés à cabeça, conversavam com o olhar, seus corpos formavam outro corpo uno de dois, um terceiro ser capaz de transcender a razão e ecoar emoções pelos poros, pelo respirar, pelo vai, pelo vem, pela intensidade, mas principalmente, pelo desejo de estar um no outro inteiramente com as químicas naturais que dantes possuíam muito e, que pelo comodismo, deixaram de produzir com mais frequência, Entretanto, naquele momento afloraram e como afloraram! E mais... naquele instante conheciam-se mais podendo reconhecer-se um no outro e reciprocamente doar-se por inteiro! Viam-se em orgasmos mútuos, juntos, sem egoísmos! Ficaram deliciando-se durante toda a noite e só deram conta da hora com o raiar do sol que penetrava pela brecha na janela.
Ambos não acreditavam que pudessem se amar daquela forma incessante, mas Carlos confessou para Cris o que havia acontecido, um amigo havia perdido sua esposa naquele dia em um acidente de carro vindo à óbito na hora. No instante em que viu seu amigo sofrendo a dor de sua perda, ocorreu-lhe que o mesmo poderia ter acontecido consigo. Saiu desesperadamente ao encontro de Cris para amá-la na esperança de nunca perdê-la.

Jaqueline Cristina
Direitos Autorais Reservados ®

  * Clique na foto e conheça o blog da autora.
_______________________________________________________________________________

27 comentários:

Verinha Portella disse...

Jaqueline Cristina!

Belíssimo trabalho.
Tua participação é de grande valor.
Quero abraça-la e parabeniza-la.

Adorei...
beijos
vera portella

Sónia M. disse...

Parabéns pelo belíssimo texto!
Um conto que nos segura até à ultima letra.

É preciso perder (ou quase), para saber o quanto se amava...

Muito bom!

Deixo um beijo
Sónia

MARIA MACHADO disse...

Um belo conto emocionante,com uma linda história! O medo de perdê-la fez com que Carlos saisse desesperadamente ao encontro de Cris para amá-la. Poderia ser assim entre os casais,as vezes eles esquecem de quem está ao seu lado.
Olá Jaqueline Cristina...Prazer te conhecer. Um belo final de semana!
Um abraço
Maria Machado

Jaqueline Cristina disse...

J.R. Viviani, quero agradecer mais uma vez a oportunidade de poder participar desse post.
Ficou muito bom!

Aproveito e agradeço a Verinha, Sônia e Maria Machado pelos comentários.

Obrigada de coração.
Bjoks

Nádia Santos disse...

Lindíssimo!!!!Sensualidade e erotismo na medida certa. Precisava que algo trágico acontecesse para que ele percebesse e valorizasse sua amada e companheira. O amor precisa ser conquistado todos os dias, pois amanhã pode ser tarde demais. Parabéns Jaqueline!!!

POR TODA MINHA VIDA disse...

Lindo Conto realmente carregou-me contigo o tempo todo parabéns Jaqueline Pedro Pugliese

Dorli disse...

Oi Jaqueline!
Apesar desse tempo de glamour ter-me ficado para trás, jamais deixaria meu lar abençoado por nada nesse mundo, pois sempre segui minha vida por um ditado.
"O pouco com Deus é muito, o muito sem Deus é nada" .
A felicidade como disse no meu post não é plena, são momentos que cada um usa ao seu tempo.
Lindo conto sensual
Beijos
Dorli Ramos

elvira carvalho disse...

Um texto intenso, fortemente erótico, com um final inesperado. Pena que os seres humanos só se lembrem de Stª Barbara quando troveja.
Muito interessante a sua participação.
Um abraço e bom fim de semana

elvira carvalho disse...

Um texto intenso, fortemente erótico, com um final inesperado. Pena que os seres humanos só se lembrem de Stª Barbara quando troveja.
Muito interessante a sua participação.
Um abraço e bom fim de semana

Rosa Mattos disse...

Muito bom seu texto, Jaqueline.

Para qualquer ação é preciso uma motivação. E o medo de perder não deixa de ser um tônico revigorante, que resultou no caso do personagem, em algo positivo.

Parabéns. bjs

Rosa Mattos
http://contosdarosa.blogspot.com

Carmen Lúcia.Prazer de Escrever disse...

Parabéns Jaqueline pelo conto sensual e com muita delicadeza.
Passarei em seu blog a fim de apreciar seus lindos textos.

bjs.
Carmen Lúcia

Célia Rangel disse...

Realidade da vida! Assim senti o seu conto enquanto o lia. Mostra o cotidiano em que muitas vezes não damos valor e, de repente, por algum acontecimento, ainda que alheio, nos faz acordar para a vida! Revisão de conceitos!
Parabéns!
[ ] Célia.

VILMA PIVA disse...

Olá Jaqueline, o seu conto é maravilhoso trazendo à tona o romantismo, a sensualidade e a paixão dos que amam. Parabéns!! Beijos!

VILMA PIVA disse...

Olá Jaqueline, o seu conto é maravilhoso trazendo à tona o romantismo, a sensualidade e a paixão dos que amam. Parabéns!! Beijos!

*Escritora de Artes* disse...

Oi Jaqueline,

Sou fã dos seus textos, sempre retrata a sensualidade e o romantismo, parabéns!

Bia Hain disse...

Jaqueline, parabéns pelo conto. A tendência do casal é mesmo se acomodar e um deixar de prestar atenção no outro. Pena que seja preciso uma morte para que alguém acorde finalmente. Um abraço!

Bia Hain disse...

Jaqueline, parabéns pelo conto. A tendência do casal é mesmo se acomodar e um deixar de prestar atenção no outro. Pena que seja preciso uma morte para que alguém acorde finalmente. Um abraço!

Zilani Célia disse...

OI JAQUELINE!
TEU CONTO É MUITO INTENSO E SENSUAL,COM UMA BELA MENSAGEM NO FINAL, ADOREI.
PARABÉNS PELA PARTICIPAÇÃO.
ABRÇS
http://zilanicelia.blogspot.com.br/

Lu Nogfer disse...

Um conto sensual e reflexivo!

Muito bom mesmo!
Parabens!

Abraços

Bento Sales disse...

Olá, amiga Jaqueline!
O conto narra uma história muito bonita, sensual, romântica e muito bem escrita.
Dizem que não há mal que não se faça um bem. Nunca é tarde para valorizarmos e amarmos quem também nos que bem.
Seu texto enriqueceu sobremaneira este espaço e evento, que nossa cortês amigo Viviani promoveu.

Abraços a ambos.


Pedro Luis López Pérez (PL.LP) disse...

Como siempre, un Relato lleno de belleza sensual y destellos brillantes de Pasión.
Um abraço.

silvioafonso disse...

.


Aplausos de pé...

Beijos,

silvioafonso







.

Tunin disse...

O romantismo e a sensualidade se misturaram neste bem contado conto. O mais importante é que ele soube meditar, o quanto antes, que é preciso molhar a plantinha todo o santo dia e na medida do possível.Foram felizes.
Abração.

Smareis disse...

Uma bela história, muito bem trançada. Gostei muito.
Aproveito desde já, pra te desejar um Natal cheio de muitas alegrias, e que o espírito do Natal te guie durante o ano novo que está para começar.
Obrigada pela sua presença em 2012 no meu blog. O meu desejo é que possamos estar trilhando novamente em 2013.
Ótimo final de Ano, e maravilhoso começar de Novo Ano.
Feliz Natal e Próspero Ano Novo!
Beijos!

Janete Sales (Dany) disse...

Olá Jaqueline!

Parabéns para este belo conto reflexivo!
O medo de perder as vezes pode fazer com que o amor renasça...não deveria ser assim,porém é...

Muito lindo o seu conto!
Meus parabéns!

Abraços a todos!

Isa Lisboa disse...

A vida tem coisas assim, que apenas se apreciam quando se perdem ou quando se pensa na hipótese de se perderem... Foi um final surpreendente e bem pensado!

Beijo

Patricia Galis disse...

Jaque minha linda adorei, o final me levou a refletir e muito, diante de perder quem amamos nos transformamos.