19 de janeiro de 2015

Divulgando


Caros amigos leitores, como já anunciado, todas às 2as, 3as e 4as feiras, são reservadas à divulgação de Autores Independentes e suas obras, sendo o resto da semana reservada à divulgação das minhas obras.
No entanto, o Divulgando, – nome dado à coluna na qual faço a divulgação dos autores independentes, terá a partir de hoje também outra finalidade, cuja razão eu vos explano:
Ultimamente ou melhor, já há bom tempo, como devem ter percebido, a impressa literária brasileira com claros interesses comerciais – em minha opinião, têm deixado, com raríssimas exceções, os nomes dos grandes autores brasileiros praticamente na obscuridade, o que, evidentemente, não possibilita que à grande maioria dos brasileiros, principalmente os mais jovens, tenham conhecimento dos afamados e reconhecidos grandes autores que serviram de exemplo e inspiração à outros tantos importantes autores brasileiros contemporâneos.
Em função disto, tentando dar minha humilde contribuição, passo a intercalar nos mesmos dias da semana a coluna:   



Na referida coluna, darei a conhecer, além da biografia do autor, a bibliografia com a relação das obras e dos gêneros, assim como das relevâncias dessas obras para a literatura nacional. 
Não obstante, devo esclarecer que os autores que serão aqui divulgados, foram escolhidos pela minha preferência pessoal como escritor que sou, já que os mesmos tiveram, de uma forma ou de outra, influência nas minhas obras; sem nenhum demérito aos demais outros tantos, principalmente os autores contemporâneos.
Dito isto, inicio com o inegavelmente maior dentre todos, o escritor:


(Machado de Assis - fotografia de autor desconhecido)

Joaquim Maria Machado de Assis, é o escritor considerado como o maior nome da nossa literatura. Escreveu em praticamente todos os gêneros literários, sendo poeta, romancista, cronista, dramaturgo, contista, folhetinista, jornalista, e crítico literário.
Nascido no Morro do Livramento, Rio de Janeiro, em 21 de junho de 1839 de uma família pobre, cujos pais foram Francisco José de Assis, um mulato filho de escravos alforriados, e de Maria Leopoldina da Câmara Machado, lavadeira portuguesa dos Açores. Ambos agregados de Dona Maria José de Mendonça Barroso Pereira, esposa do senador Bento Barroso Pereira, que abrigou seus pais e tornou-se a madrinha do bebê Machado, tendo Joaquim Alberto de Sousa da Silveira, seu cunhado, como padrinho; em homenagem aos padrinhos lhe deram o nome de: Joaquim Maria.
Machado de Assis, segundo seus biógrafos, na sua infância ajudava celebrar missas, com isso, conheceu o Padre Silveira Sarmento, que, além de amigo, se tornou seu mentor de latim.  Aos 10 anos, Machado tornou-se órfão de mãe, e seu pai casou-se com Maria Inês da Silva, tornando-se, portanto, sua madrasta e que cuidou do menino, mesmo depois da morte do pai, confeccionando doces numa escola reservada para meninas onde Machado teve aulas durante o dia, enquanto à noite estudava língua francesa com um padeiro imigrante do qual ganhou admiração e cuidados.
Machado, mal estudou em escolas públicas e nunca frequentou universidade – vejam vocês o nível e a capacidade intelectual que ele carregava de nascença. Os biógrafos relatam com ênfase sua luta como autodidata para subir socialmente abastecendo-se de superioridade intelectual.
Aos 21 anos de idade Machado já era uma personalidade considerada entre as rodas intelectuais cariocas. Convidado por Quintino Bocaiúva, trabalhou intensamente como jornalista no Diário do Rio de Janeiro onde publicou suas primeiras poesias e crônicas; com isso, tempos depois, ganhou notoriedade e assumiu diversos cargos públicos, passando pelo Ministério da Agricultura, do Comércio e das Obras Públicas em paralelo a sua dedicada carreira de exímio escritor.  
Sua extensa obra constitui-se por gênero, em ordem cronológica, como segue:  
Romance:
Ressurreição (1872)
A Mão e a Luva (1874)       
Helena (1876)
Iaiá Garcia (1878)
Memórias Póstumas de Brás Cubas (1881)
Casa Velha (1885)
Quincas Borba (1891)
Dom Casmurro (1899)
Esaú e Jacó (1904) 
Memorial de Aires (1908)
Conto:
Contos Fluminenses (1870)
Histórias da meia-noite (1873)
Papéis avulsos (1882)
Histórias sem data (1884)
Várias histórias (1896)
Páginas recolhidas (1899)
Relíquias de Casa Velha (1906)
Poesia:
Crisálidas (1864)
Falenas (1870)
Americanas (1875)
Gazeta de Holanda (1886-88)
Ocidentais (1901)
O Almada (1908)    
Dispersas (1854 -... )
Crônica:
Comentários da semana (1861-1863)
Crônicas do Dr. Semana (1861-1864)
Crônicas - O futuro (1862-1863)
Ao acaso (1864-1865)
Cartas fluminenses (1867)
Badaladas (1871-1873)
História de quinze dias (1876-1877)
História dos trinta dias (1878)
Notas semanais (1878)
Balas de estalo (1883-1886)
Bons dias! (1888-1889)
A semana (1892-1800)
Peças teatrais:
As forcas caudinas (sem data)      
Hoje avental, amanhã luva (1860) 
Desencantos (1861)
O caminho da porta/O protocolo (1863)
Quase ministro (1864)
Os deuses de casaca (1866)
O bote de rapé (1878)
Tu, só tu, puro amor (1880)           
Não consultes médico (1899)
Lição de botânica (1906).

Machado de Assis é considerado o introdutor do Realismo no Brasil com a publicação de Memórias Póstumas de Brás Cubas (1881). Romance que alguns críticos colocam ao lado todas as suas produções posteriores: Quincas Borba, Dom Casmurro, Esaú e Jacó e Memorial de Aires, obras pertencentes a sua segunda fase, as quais levam traços de pessimismo e ironia, sem deixar de ter resíduos românticos. Dessa fase, os críticos destacam que suas melhores obras são as da Trilogia Realista: Memórias Póstumas de Brás Cubas (1881), Quincas Borba (1891) e Dom Casmurro (1899), que decisivamente inovaram a literatura brasileira, introduzindo o Realismo no Brasil e precedendo outros elementos da literatura contemporânea. Sua primeira fase literária é constituída de obras como Ressurreição, A Mão e a Luva, Helena e Iaiá Garcia, onde notam-se características herdadas do Romantismo.
Sua obra foi de fundamental importância para as escolas literárias brasileiras do século XIX e do século XX e surge nos dias de hoje como de grande interesse acadêmico e público. Influenciou grandes nomes das letras, como Olavo Bilac, Lima Barreto, Drummond de Andrade, entre os muitos outros. Em seu tempo de vida, alcançou relativa fama e prestígio pelo Brasil, contudo não desfrutou de popularidade exterior na época. Hoje em dia, por sua inovação e audácia em temas precoces, é frequentemente visto como o escritor brasileiro de produção sem precedentes, de modo que, recentemente, seu nome e sua obra têm alcançado diversos críticos, estudiosos e admiradores do mundo inteiro. Machado de Assis é considerado um dos grandes gênios da história da literatura, ao lado de autores como Dante, Shakespeare e Camões.
Inspirado na Academia Francesa, Machado, junto com outros renomados autores e intelectuais, fundou em 1897 a Academia Brasileira de Letras, com o objetivo de cultuar a cultura brasileira e, principalmente, a literatura nacional sendo eleito, por vontade unanime dos companheiros fundadores, o seu presidente até o dia 29 de setembro de 1908 quando da sua morte aos 69 anos.  
* * *
Aos que se interessarem, deixo o site no qual terão a obra completa do grande escritor e ler, se assim o desejarem, cada uma delas:  http://machado.mec.gov.br/


Aos que preferirem adquirir alguma obra em específico, abaixo segue, como exemplo, o link de algumas livrarias online:
Livros impressos no Extra: http://tinyurl.com/qbdzuu6
Livros em e-Book na Amazon: http://tinyurl.com/q6bbk9j

Abraços a todos, até a próxima e boa-leitura! 
_______________________________________________ 

34 comentários:

Cidália Ferreira disse...

Muito bem
Vamos lá então.

Beijos e uma semana feliz.

http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

Samuel Balbinot disse...

Boa tarde caro amigo..
só nomes de peso não é..
se não me engano fiz um soneto ao Machado de Assis e não foi fácil não pq tem tantas coisas que tive que me desdobrar para formar o mesmo.. abraços e até sempre

JAIRCLOPES disse...

Soneto-acróstico
A Machado

Maior autor da literatura brasileira
Agiu numa gama de modalidades
Cronista sóbrio, autor de primeira
Hoje percebemos suas qualidades.

Assis deixou um inigualável legado
Desde “Dom Casmurro”, obra prima
Outros contos assim bem contados
Diversas obras de poemas e rimas .

Encanta-nos, como encantou outrora
Admiramos esse gênio de uma era
Seus romances e contos são da hora.

Saborear Machado não é quimera
Ilibado que com inteligência explora
Seu trabalho só aplausos se espera.

Laura Santos disse...

Mesmo sem nunca ter frequentado estudos superiores, o grande Machado de Assis, é a demonstração cabal de que existindo curiosidade e capacidade intelectual, o autodidatismo é uma impressionante ferramenta para obtenção de conhecimento. Juntando sensibilidade talento, deu no que deu; obras para a posteridade.
Dele apenas conheço Dom Casmurro, uma obra muito inteligente e com respingos de saborosa ironia.
Confesso que não é um autor muito divulgado por aqui, embora o nome seja bastante conhecido.
Gostei de ler a biografia, porque não sabia absolutamente nada da vida deste "monstro" da literatura brasileira, fundador da Academia de Letras Brasileiras, e filho de uma lavadeira portuguesa...:-)
Belo post! De autêntico serviço público.
xx

Mariangela disse...

Que riquíssima postagem J.R,
Parabéns...gostei demais!
E obrigado por tudo!
Abração e uma feliz semana!
Mariangela

Marina Fligueira disse...

¡Hola J-R!!!

Vaya, pensé que solo había el Machado español; mas veo que no, que tambíen hubo un Machado brasileño y con una trayectoria muy digna de admiración, un intelecto con talento y talante.
Estas haciendo una labor preciosa, Viviani. Dando a conocer al mundo, un genio como Machado un famoso literato y toda su obra: mas su impresionante y hermosa trayectoria.
Gracias mil por todo que nos das, que es mucho y por tu cercanía.

Te dejo mi mi abrazo y mi admiración siempre.
Feliz semana y un beso azul en vuelo.

Andreia Morais disse...

Excelente rubrica!

r: Muito, muito obrigada

Labirinto de Emoções disse...

É sempre bom relembrar a vida de grandes autores.
Obrigada pela partilha
Um Beijo
Teresa

Célia Rangel disse...

A busca pelo saber independe de "bancos escolares"... Machado de Assis, assim como tantos outros refletem isso em suas obras! Seu post de hoje é uma aula! Parabéns!
Abraço.

Mirtes Stolze. disse...

Boa noite JR.
Confesso que não sabia como me dirigir ao senhor, agora observei que é chamado como JR, mais uma coisa eu sei é uma pessoa extremamente educado, sensível e culto. Obrigada pelo carinho.
Uma belíssima postagem, relatando obras de grande autores. Uma linda semana.
Um forte abraço.

Isy disse...

Um exelente autor! Adorei a iniciativa!

Bjxxx

Lia Noronha disse...

belíssima e merecida homenagem queridos amigo.Abraços meus pra ti

Roselia Bezerra disse...

Olá, Viviani
Li a coleção completa dele para o Vestibular e gosto muito...
Só agora retomando, bem devagar, as atividades...
Abraços festivos de 2015

Moacir Willmondes disse...

Bom e velho Machado...

Gosto,sobretudo, da ironia ímpar que ele sabe dar como ninguém aos seus personagens.

Um abraço!

Lilly Silva disse...

Boa tarde! Que post tão rico em detalhes e bem preparado! Parabéns!!!
Abraços

http://simplesmentelilly.blogspot.com.br/

Graça Pires disse...

Obrigada pelas palavras deixadas no meu "Ortografia". Passarei aqui outras vezes.
Abraço.

VILMA PIVA disse...

Olá JR Viviani,que maravilha ter posts com os grandes autores. Parabéns pela feliz iniciativa.
Sua visita ao meu blog é sempre bem vinda e agora que a saudade nos alertou vamos comentando nossos trabalhos.Bjs.

Arco-Íris de Frida disse...

Gosto imenso deste autor...

Agradeço as palavras e a visita ao meu blog...

Arco-Íris de Frida disse...

Gosto imenso deste autor...

Agradeço as palavras e a visita ao meu blog...

Ailime disse...

Boa tarde amigo,
Em primeiro lugar quero agradecer-lhe a honra que me deu ao visitar o meu humilde blogue e as palavras tão carinhosas de incentivo!
Depois dizer que o seu Blogue é verdadeiramente importante na divulgação dos autores, como Machado de Assis, grande vulto da Literatura Brasileira.
Virei sempre que puder ler os seus próprios trabalhos e os de divulgação!
Um abraço.
Ailime

Emília Pinto disse...

Quero antes de mais agradecer a visita que fez ao
Começar de Novo . Penso que dá para perceber, dando uma vista de olhos pelo meu blog, que tenho uma grande ligação ao Brasil; vivi aí muitos anos e os meus filhos são brasileiros; meus pais e irmão continuam ai e, como deve imaginar visito com alguma frequência esse lindo pais. É portanto um grande prazer quano recebo visitas de pessoas daí . Espero que tenha gostado do meu cantinho e que volte sempre. Por aqui estarei com toda a certez. Um abraço e até breve. Voltarei para ver o seu blog com mais calma.
Emília

Arione Torres disse...

Oi amigo, adorei o post, amo achado de Assis!
Tenha uma ótima semana, abraços!!

Marta Vinhais disse...

Obrigada pela visita ao Com Amor.
Espero que volte mais vezes.
Gostei muito deste texto sobre Machado de Assis.
Volto depois para ler com mais atenção.
Beijos e abraços
Marta

Guaraciaba Perides disse...

Excelente divulgação do melhor de nossa literatura...um clássico estudado em Universidades do mundo inteiro, sempre tratando de temas universais com o olhar precioso e ironia fina de sua alma arguta.
Um abraço e Parabéns pela iniciativa.

Lu Nogfer disse...

Muito generosa a tua ideia em divulgar também, grandes autores brasileiros. Machado de Assis: um escritor super completo! Tenho lido muitas obras dele por intermédio também de trocas.

Parabéns pela bela divulgação, meu caro amigo!
Que você tenha uma ótima semana!

Beijos

Pedro Luis López Pérez (PL.LP) disse...

Muy interesante tu nueva linea divulgando grandes autores brasileiros.
Maravillosa biografía sobre Joaquim Maria Machado de Assis, un gran autodidacta con una capacidad creativa innata.
Abraços.

KBÇAPOETA disse...

Com certeza machado é o maior. Adorei o blog.

Daniel Costa disse...

Caro Viviani

Por já conhecer obras de Machado de Assis, considero-me admirador. Vir agora a saber mais da sua biografia foi ótimo, pois sempre gosto de ir aprofundando mais, sobre quem foram as personalidades que admiro.
Também, neste particular, é muito louvável, esta tua fase.
Deixo um grande abraço

Vitor Chuva disse...

Olá, Viviani!

É louvável a iniciativa; numa época onde casa editoras estão mais viradas para publicações de "escritores" que estão na moda, cujo grande talento é na maior parte das vezes o facto de serem vistos como figuras públicas, gente conhecida...

Bom texto!

Um abraço
Vitor

Maria disse...

Excelente homenagem!
Grata por compartilhar connosco tão fantástico texto...
Beijinho com carinho
Agradeço do coração todas as vezes que visita o meu cantinho e deixa um lindo comentário.
Maria

Leila Bonfim disse...

Olá meu querido Viviani.Que postagem maravilhosa! Amo Machado de Assis, aprendi muito com ele. Obrigada pelas visitas em minha página. Um forte abraço.

Nina Filipe disse...

Carissimo amigo aqui estou para retribuir a sua visita e lindo comentário.
Acho o seu blogue muito interessante, espero voltar mais vezes.
Sabe amigo esta coisa do Facebook vei fazer que todos abandonem mais os blogues mas prometo sempre que possa vir fazer uma visita.
Beijinhos de luz e paz.

Patrícia Pinna disse...

Boa noite, Vivian.
Finalmente cheguei aqui, justamente na postagem que fala sobre o escritor que eu adoro!
Machado teve várias fases, e eu gosto de todas.
Extremamente inteligente, talentoso e de um detalhismo impressionante.
Para variar, muitas de suas obras nos deixam em verdadeiro suspense, quando pensamos que terminará de um jeito, ele vem e nos surpreende.
Seus contos são maravilhosos.
Parabéns por ele estar aqui merecidamente.
Adoro esse teu espaço.
Parabéns.
Tenha uma noite de paz.
Beijos na alma.

Blogger disse...

Did you know you can create short urls with LinkShrink and receive dollars for every click on your shortened links.