26 de janeiro de 2015

Divulgando


Olá, meus caros amigos leitores, dando continuidade à nova coluna, hoje lhes trago outro nome que enriqueceu a nossa literatura com importantes e magníficas obras; obras que se perpetuaram, tornando-se clássicos tal a magnitude e a reconhecida importância para o acervo literário brasileiro.  


 
(José de Alencar) 
José Martiniano de Alencar, nascido em 1 de maio de 1829 em Messejana, Ceará, foi jornalista, político, crítico, cronista, romancista e dramaturgo. Formado em direito pela Faculdade de Direito de São Paulo, iniciou sua atividade literária no Correio Mercantil e Diário do Rio de Janeiro. Em 1856 publicou o seu primeiro romance: Cinco Minutos, seguido de A Viuvinha em 1857. Mas foi com O Guarani em 1857 que alcançou notoriedade, e sua notoriedade foi realçada com mais dois romances de inegável valor que completam a célebre trilogia indianista que enfatizam a epopeia da formação e origem do Estado do Ceará, sendo Iracema de 1865 e Ubirajara de 1874.
Escritor fecundo, tem vastíssima criação literária, as quais estão abaixo listadas por gênero e ordem cronológica:       
Romance

Cinco Minutos, 1856
A viuvinha, 1857
O guarani, 1857
Lucíola, 1862
Diva, 1864
Iracema, 1865
As minas de prata - 1º vol., 1865
As minas de prata - 2.º vol., 1866
O gaúcho, 1870
A pata da gazela, 1870
O tronco do ipê, 1871
Guerra dos mascates - 1º vol., 1871
Til, 1871
Sonhos d'ouro, 1872
Alfarrábios, 1873
Guerra dos mascates - 2º vol., 1873
Ubirajara, 1874
O sertanejo, 1875
Senhora, 1875
Encarnação, 1877
Teatro
Verso e reverso, 1857
O crédito, 1857
O Demônio Familiar, 1857
As asas de um anjo, 1858
Mãe, 1860
A expiação, 1867
O jesuíta, 1875
Crônica
Ao correr da pena, 1874
Autobiografia
Como e por que sou romancista, 1873
Crítica
Cartas sobre a confederação dos tamoios, 1856
Ao imperador, 1865
Ao povo, 1866
O sistema representativo, 1866

Fatos curiosos e insólitos cercam a vida do grande escritor. Em 1859, José de Alencar tornou-se chefe da Secretaria do Ministério da Justiça. Em 1860 ingressou na política, como deputado estadual no Ceará. Em 1868 tornou-se ministro da Justiça. Em 1869 candidatou-se ao senado do Império, porém foi preterido pelo Imperador D. Pedro II por ser ele muito jovem ainda – vejam vocês que absurdo, um homem aos 40 anos de idade ser considerado muito jovem, - "coisas" do Governo Imperial.
Outra curiosidade é que alguns biógrafos aventaram a hipótese, todavia, nunca confirmada, de que o filho que ele teve com Ana Cochrane – sua esposa, era na verdade, filho de Machado de Assis, servindo como inspiração e enredo principal do romance Dom Casmurro escrito por Machado em 1899.    
José de Alencar, com os romances urbanos (Senhora, 1875; Encarnação, 1877), regionalistas (O Gaúcho, 1870; O Sertanejo, 1875) e histórico (Guerra dos Mascates, 1873), teve, segundo os críticos, uma característica marcante que foi o nacionalismo, tanto nos temas como nas inovações do uso da língua portuguesa, com evidentes esforços patrióticos na busca do conhecimento e cultura próprios tentando construir e dar novos rumos à literatura nacional.
O grande expoente da literatura brasileira do século XIX, patrono da cadeira 23 da Academia Brasileira de Letras, faleceu na mais absoluta miséria na cidade do Rio de Janeiro em 12 de dezembro de 1877, vítima de tuberculose.
* * *
Não é tão comum encontrar as obras de José de Alencar à venda em livrarias, por essa razão, deixo, como dica, o link:
Livraria online do Extra: http://tinyurl.com/ky6fkeq

Espero que tenham gostado da divulgação de hoje; a despeito disso, lhes digo, sem falsa modéstia, que estou feliz por tê-la feito, já que, sinceramente, deu-me prazer, além da honra da oportunidade.
Abraços e até a próxima!  
______________________________________

27 comentários:

Isy disse...

desconhecia completamente, obrigado por divulgar!

Bjxxx

Cidália Ferreira disse...

Bom dia

Não conheço, mas vou gostar de conhecer!

Beijos

http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

Guaraciaba Perides disse...

Muito bom divulgar os autores importantes da nossa literatura.Eram os romances leitura obrigatória para os estudantes de minha juventude , um traço
importante de nossa formação. Lia-se muito! É uma lástima que o hábito se perdeu e nas escolas não se estimule o hábito da leitura.
um abraço. Parabéns!

JAIRCLOPES disse...

Soneto-acróstico
A Alencar

Autor prolífico nascido em Messejana
José de Alencar nos disse a que veio
Outra talvez seria velha alma humana
Sem Alencar a influenciar nosso meio.

É pai de Iracema, ela de lábios de mel
Deixou-nos A pata da Gazela também
Em tudo que fez saboreia-se um pitéu
Além disso tudo, sempre escrevia bem.

Lá se vão tempos de ídolos escritores
Eles que no vernáculo verteram obras
Nunca mais o mundo com tantas cores.

Com tais próceres onde talento sobra
A boa literatura mesclou-se de flores
Restando a nós aplaudir esses cobras.

D. disse...

Gostei :)
Boa semana, beijinho

Cristina disse...

Una biografía completísima, excelente articulo, gracias por compartirlo!
Buen comienzo de semana, besos!!

Daniel Costa disse...

Viviani

Assim que adentra muito, no saber dos nossos ídolos das letras. Na verdade eu sou também admirador, pelo que conheço da literatura que, José de Alencar, nos deixou. Com jornalista, especializado em filatelia, debrucei-me bastante sobre o todo mundo de língua portuguesa. Nesse contexto precisei de ir estudando bastante do Brasil, já que a filatelia é auxiliar da história.
Abraços

Miguel disse...

Não posso dizer que conheço profundamente, mas já tenho lido excertos de obras de José Alencar que me tem agradado muito.
Louvável a sua atitude de publicitar os autores que fizeram história nesse maravilhoso país.

Um abraço
MIGUEL / ÉS A MINHA DEUSA

Laura Santos disse...

Obrigada pela partilha, Viviani.
Apenas conhecia José de Alencar , de nome. Que tinha sido um grande escritor, sim senhor, mas nada mais que isso.
Achei curioso o facto de ele ter sido considerado jovem aos 40 anos, mas a verdade é que todo o governo imperial arranjará sempre uma desculpa, porque, e principalmente nessa altura, um homem de 40 anos seria um homem maduro e bem apto para a função.
Boa semana!
xx

Gracita disse...

Oi Viviani
Sou daquela época em que lia muito na escola e eu tive a felicidade de ler todos os romances de José de Alencar. Uma escrita impecável e que dá gosto ler. Parabéns pela escolha e pela soberba divulgação.
Uma linda semana
Beijinhos no coração

Roselia Bezerra disse...

Olá, Viviani
Foi outro autor que li em toda coleção pro vestibular e ficou dele muito em mim...
Abraço fraterno e festivo de 2015

Mirtes Stolze. disse...

Boa noite JR.
Muito bom a divulgação das obras de José de Alencar. Uma ótima semana.
Abraços.

Bell disse...

Boa noite,

Não tinha conhecimento que ele se envolveu com a política.
E será que houve um ato extraconjugal?Bafão rs...

Antonio Porpetta disse...

Magnífica labor de divulgación que todos los amantes de la literatura hemos de agradecer. Un abrazo.

Nilson Barcelli disse...

Penso que nunca li nada deste escritor.
Mas vou seguir o link.
Boa semana, caro amigo.
Abraço.

ॐ Shirley ॐ disse...

Querido amigo, é sempre bom vir aqui.
Beijos, Viviani!

Edumanes disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Edumanes disse...

Andas amigo Vendedor de Ilusão,
na descoberta de escritores doutra hera
se encontrares uma rosa em botão
para ela entrar deixa a porta do teu coração aberta!

Obrigado pela visita,
desculpa só agora aqui ter vindo
quem na vida acredita
na vida vive a vida sorrindo!

Boa terça-feira, um abraço.
Eduardo.

Tais Luso disse...

Ótimo trabalho de divulgação, Viviani!! Lembro de meus primeiros livros, lidos na escola foram Lucíola, Iracema e Senhora. Grata recordação!
Grande abraço!!

Marina Fligueira disse...

Formidable reseña de este gran escritor. José de Lencar.

Dejo un buen legado con una preciosa trayectoria.
He sido un inmenso placer pasearme por tan lindas palabras.
Un abrazo y feliz fin de semana.

Emília Pinto disse...

Olá amigo. Acho uma ideia excelente divulgares os escritores brasileiros, com certeza já notaste que também no meu blog eles aparecem com frequência; o Brasil é a minha 2° patria, com sabes. De José de Alencar li 2 livros, o Guarani e Iracema, mas sabia muito pouco sobre ele; agora, graças à tua pesquisa sei bastante mais. Muito obrigada e até breve. Um beijinho
Emilia

Andreia Morais disse...

Obrigada pela divulgação!

r: Muito obrigada. A vida é um ciclo e aquela é a última etapa, ainda assim nunca é fácil

Beijinho*

Existe Sempre Um Lugar disse...

Boa tarde, peço desculpa para minha ignorância, conheço a obra de José de Lencar superficialmente, sempre pensei que o mesmo fosse português.
AG

Vanuza Pantaleão disse...

Querido amigo, como estás?
Com certeza, muito bem, tendo em vista a bela e vigorosa resenha da biografia desse ícone da nossa Literatura.
Não vou dizer que li tudo de José Alencar, mas queimei muito as pestanas com muitos dos seus ternos romances (Senhora, Iracema, Lucíola, etc.).Parabéns mesmo!!!
Adorei estar aqui, e aproveito a oportunidade para lhe agradecer, de coração, o estímulo que nos eleva o ânimo, envolvidos nos teus comentários tão otimistas.
Ah, gostas também do grande Chopin? E Noturno, hein? Divino, simplesmente, divino...
O pianista chama-se Ilton Jardim, está no Youtube e no Facebook onde já compartilhei sua página. Muito jovem e super talentoso. E pensar que o encontramos por acaso. Aliás, um feliz acaso. Um lindo resto de semana, amigo do coração!Muito, muito obrigada!!!

Marli Terezinha Andrucho Boldori disse...

Boa noite,sempre é bom sabermos mais sobre nossos autores da Literatura.
Excelente, sua pesquisa e compartilhamento conosco.
Há tanto a aprendermos. José de Alencar foi e sempre será o grande romancista.
Obrigada ! Grande abraço!

Lilly Silva disse...

Muito legal este post J.R.
Parabéns!!!
Abraços

http://simplesmentelilly.blogspot.com.br/

Blogger disse...

Did you know that you can shorten your long urls with Shortest and earn money from every click on your short links.